A prática da leitura como instrumento de formação e transformação cidadã.

Não há contestação de que a leitura e escrita são práticas importantes na sociedade e na escola. De fato muitas atividades da vida social ocorrem por meio da leitura e da escrita, a leitura permite que o indivíduo aprenda além do que é ensinado e possa continuar aprendendo com autonomia ao longo de sua vida, a escrita por sua  vez é um registro, um grande canal de comunicação que utilizamos para diversos fins.

A história da educação no Brasil é um material importante para analisarmos  o quanto a educação foi um privilégio de determinada classe que se valia de sua instrução, para garantir vantagens e manter seus privilégios, assim pensar na construção em uma sociedade leitora no Brasil requer  e análise acerca da estrutura educacional brasileira.

A preocupação dos jesuítas era a catequese dos índios e o ensino das primeiras letras aos filhos do colono, por ser uma colônia rural que dependia apenas da força braçal, a escolarização era vista como algo desnecessário, por esse motivo quando a companhia de Jesus foi expulsa, o processo escolar ficou adormecido, mesmo porque durante esse período quando os filhos da elite precisavam estudar, eram enviados à Europa.  A vinda da família real em 1808 não transformou o processo de escolarização, a educação escolar continuava sendo prerrogativa de alguns membros da elite, com a diferença que nesse período foram criados alguns cursos que seriam os percursores das primeiras faculdades no Brasil.

É possível dizer que somente após a primeira Guerra Mundial, com a chegada dos imigrantes e o início da industrialização, ocorreu uma maior preocupação com a escola, no entanto podemos contatar que somente nos anos 1960, no século XX a partir de movimentos populares e sindicais que se concretizaram as primeiras experiências de popularização da escola.

A popularização da escola no entanto não seria garantia de uma de qualidade educacional, muitos se viam obrigados a deixar o estudos e entrar precocemente no mercado de trabalho.

O mais grave na relação entre escola e a formação da classe trabalhadora no Brasil é que se fez tudo para que o trabalhador não fosse educado, não dominasse a língua, não conhecesse sua história, não tivesse seu alcance instrumentos, para elaborar e explicitar o seu saber, sua ciência e sua consciência (Arroyo, 1981, p.23)

O investimento no campo educacional ainda é recente no Brasil, e também há muito o que ser feito para sua melhoria, desse modo a formação de uma sociedade leitora é uma grande desafio social, que deve ser urgência da agenda educacional.

A educação e a cidadania estão intimamente ligados, pois o sujeito que goza de direitos plenos: civis, políticos e sociais, pode ser considerado cidadão, a Educação é definida como um direito social, logo  é pre requisito para expansão dos outros direitos, pois permite, permite que o indivíduo tome conhecimento de seus direitos e ainda possa se organizar e lutar pela expansão e melhoria dos mesmos, desta forma, constatamos que a ausência de uma população educada, é sempre um obstáculo quando se trata da cidadania.

Há  outros muitos fatores que influenciam o despertar e o gosto pela leitura que também devem ser levados em consideração, as primeiras experiencias no lar e na escola tem um impacto duradouro na motivação para leitura ao longo da vida, As crianças demonstram gosto por livros que já foram lidos para elas pelos adultos, suas obras prediletas são constantemente revisadas, as atitudes positivas diante da leitura são aliadas importantes na motivação para ler e do compromisso e engajamento nessa atividade.

A prática da leitura e escrita são importantes instrumentos na formação de um cidadão crítico sendo assim é necessário haver nas escolas uma cultura de valorização da leitura, com estratégias que visem a autonomia e o engajamento do aluno com a leitura. Outra ação importante consiste no envolvimento e integração da família com a escola, mecanismos que tornam a prática escolar mais próxima da realidade do aluno.

Propiciar uma educação transformadora é o grande desafio dos educadores, que se deparam com muitos entraves estruturais e pedagógicos, apontar apenas um caminho para estas questões seria um erro, porém sabemos que a prática da leitura e escrita são excelentes mecanismos na busca de uma educação para cidadania, a sociedade pode contribuir para a construção de um pais mais ético e crítico, incentivando a leitura, buscando diferentes fontes de informação.

Texto – Mariana de Araújo Lucio – Psicopedagoga e Professora de História
Agende uma avaliação – 19) 4122-1289

 

2018-05-23T13:54:33+00:00